Resposta curta: seja você mesmo, e o seu estilo é que vai te encontrar.
Agora, desenvolvendo um pouco mais a ideia… todos nós somos pessoas diferentes, né? Cada um tem sua maneira individual de pensar e de fazer as coisas. E por que é assim? Bom, imagina que você pega todas as pessoas e todas as coisas que já passaram pela sua vida até hoje e bate tudo num liquidificador: o resultado disso é… sim, VOCÊ! As pessoas e os eventos que mais te marcaram seriam ingredientes em maior proporção, mas cada pequena experiência já vivida contribuiu, de alguma forma, pra tornar você quem você é. Você, o seu jeito de ser, a sua individualidade, a sua personalidade - como queira chamar - é, de fato, um mix heterogêneo, multi-fásico e agridoce de tudo o que te influencia ou influenciou como ser humano de alguma forma: seus pais, familiares, amigos, parceiros/as, professores, perfis que você segue, posts que curte, livros que lê, jogos que joga, o que você come, os filmes que assiste, os lugares que visita, tudo o que você “consome”. Isso tudo, claro, somado ainda a outros fatores de ordem biológica, como a sua genética… mas, em suma, é isso que faz cada ser humano ser uma pessoa diferente: cada um de nós está vivendo uma vida diferente, com diferentes experiências e aprendizados.
Se você se identifica com a ideia de que você é um ser humano individual e único, que ninguém é exatamente igual a você, que ninguém faz as coisas exatamente do mesmo jeito que você faz… então, provavelmente, vai concordar se eu disser que você já tem o seu próprio “estilo enquanto pessoa”, hehe.
E se você é artista, o seu estilo visual, a sua “identidade artística” nada mais é do que o seu “estilo enquanto pessoa” materializado na forma da sua arte. Mais especificamente, é o mix das experiências que você vive com a vida e com os desenhos que produz, os cursos que faz, as obras de outros artistas que observa.
O seu estilo não é algo que precisa ser “alcançado”, ele já existe com você neste momento. É uma questão de deixá-lo aparecer e fluir.
Mas o mais incrível é: você ainda está vivendo, né? Isso significa que o seu liquidificador mágico está ligado e funcionando, e cada nova experiência é mais um ingrediente que vai sendo adicionado ao seu mix particular. Os novos ingredientes podem se diluir na mistura ou transformar significativamente a cor, o sabor, a textura. Em outras palavras, nenhum ser humano é “fixo”, estamos todos em constante transformação. A vida é movimento.
Assim, à medida que você se transforma como ser humano, o seu estilo artístico se transforma junto com você de alguma forma. E isso é um bom sinal - quem, em sã consciência, escolheria não evoluir, ficar preso em noções ultrapassadas? O mundo gira, o universo se expande, e são as nossas transformações individuais que nos permitem uma melhor adaptação a tudo isso. Cada técnica que você aperfeiçoa, artista que descobre, arte que produz é um ingrediente novo no seu blend.
Se você acha que não possui um estilo próprio ou que ainda não o encontrou, quem sabe o seu “mix artístico” esteja precisando de uma maior quantidade de ingredientes? Ou uma maior variedade? Uma intensidade maior de um ingrediente específico? Um ingrediente novo? Ou talvez você precise tirar a tampa do liquidificador pra poder enxergar o que tem dentro?
O estilo de um artista é o conjunto de formas visuais que a gente vê no papel ou na tela, mas é, também, a ideia, o processo, a forma de pensar a imagem e a mensagem. É a pessoa por trás do traço, do jeito que ela é naquele momento do tempo e do espaço.
A rima foi sem querer, juro. :)
Quer acompanhar minhas atualizações? Inscreva-se na minha newsletter.

Outras postagens

Infansomnumpositionologia
Cama compartillhada é uma opção que nunca quisemos adotar como prioridade ao estabelecer as rotinas de sono do Gab, mas… a vida acontece, né? Uma vantagem que descobrimos é que... [→]
07/08/2023
Estive na Beethoven-Haus
Em Fevereiro, fui surpreendido por um e-mail pedindo para expor um desenho meu em um museu histórico na Alemanha. Pensei: “Fake, óbvio.” Mas era real... [→]
24/10/2023
Rotina é importante?
No começo do ano, eu fiz um vídeo pro Sketch Club falando sobre a importância da rotina. Eu costumo me orgulhar de ser... [→]
25/06/2020
Transformação e caos
Algumas vezes, eu enxergo, no desenho, metáforas que meio que servem para a vida. Em 2019, eu fiz uma série de... [→]
29/09/2020
Querido journal...
Uhuuu! Estreando meu art journal :) Senti falta de um local tipo o blog que eu tinha antigamente pra ficar postando conteúdo e trabalhos em progresso de forma descompromissada, sem a pressão que as redes sociais exigem hoje em dia. Aqui, a ideia é... [→]
31/05/2020
Diz-me onde habitas e te direi quem és
Aham - [voz do aluno nerd certinho] "Esta semana, eu aprendi com o tio Nathan Fowkes, no curso de Environment Design do Schoolism, que devemos sempre caracterizar nossos cenários com... [→]
03/06/2020
U-AU, que hiato
Faz tempo que não escrevo aqui! Quase aposentei este blog - na verdade, ele ficou inativo mesmo por quase 3 anos. Mas resolvi voltar porque… [→]
05/06/2023
Sketches de domingo
Domingo, chuva e o dia inteiro em casa: a receita da preguiça. De vez em quando, é bom aproveitar, né? Entre um cochilo e outro, fiz... [→]
08/06/2020
Conheci os Urban Sketchers
Acredite ou não, existe, aqui em Fortaleza, um grupo grande de pessoas que se reúnem periodicamente para desenhar. Não, não estou falando do... [⭢]
02/02/2024
Back to Top